Tese de Doutorado

Autoria: Ilana Paterman Brasil

Início: 2017
Término: –

Tendo como ponto de partida o questionamento proposto pela filósofa Isabelle Stengers, de um retorno ao animismo como caminho possível para a atual crise da sociedade ocidental (STENGERS, 2012), esta pesquisa de doutorado em Design sugere de uma investigação de ações e interações cotidianas, com o intuito de refletir sobre potências e sensibilidades acerca do corpo, tanto nos processos de criação quanto nos produtos e tecnologias da nossa sociedade. A crítica ao desenvolvimento tecnológico ocidental se faz presente, pois tem como base a superação dos limites do corpo, visto como o “outro” desde o racionalismo cartesiano. Uma alternativa sugerida nesta pesquisa é a observação de ações e interações em culturas não-ocidentais, que preservam e atualizam “válvulas de escape” aos condicionamentos recorrentes no pensamento projetual contemporâneo. O Brasil, nesta perspectiva, torna-se celeiro promissor de tais observações e questionamentos. As culturas indígenas originárias e as de matriz africana resistem e coexistem em uma dominância eurocêntrica que, politicamente, torna essa resistência cada dia mais fragilizada.

Além da investigação teórica, a pesquisa desenvolve-se em um processo prático de comunicação visual. Movimentos corporais, danças, gestos e interações corpo-natureza de culturas brasileiras de matriz africana são registrados e desenhados quadro a quadro, em animações a aquarela e carvão, permitindo, em um primeiro plano, o destaque visual ao corpo observado; e, em segundo plano, que a pesquisadora crie com seu próprio corpo, desenvolvendo habilidades e interagindo diretamente com ferramentas de criação.